Menu fechado

Princípios para um Discipulado com Sucesso

Princípios para um Discipulado com SucessoLogo no início do ano queremos voltar as bases e revermos princípios básicos e fundamentais para recomeçar. Deus une pessoas para um propósito. Assim como alguém se empenha para construir uma casa, assim acontece na vida da igreja pautada na visão celular. Hoje precisamos avaliar como está indo a nossa construção. O discipulado é um relacionamento (base), onde há transmissão de vida para o cumprimento do propósito de Deus. (Mt 28:19).

Recebemos a unção dos nossos líderes. Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau (Pr 13:20). Em Nm 11:16-17 vemos um princípio muito claro.

A composição do edifício de Deus. Ex 31:1-5 mostra Deus capacitando, lapidando pessoas, pois Ele usa pedra para edificar. Nós somos pedras que devem ser lapidadas para edificação do tabernáculo, para edificar a igreja do Senhor. A lapidação produz o quebrantamento que Deus espera para cada um de nós. É um processo.

  1. O 1º princípio para o discipulado é a confiança – I Co 3:10b,12-15. É melhor fogo aqui do que lá no inferno ou no juízo. Todas as nossas obras serão testadas. Discipulado é um tempo de aprovação. Somos aprovados na provação, através dos testes de Deus.
  2. O 2º princípio é a transparência. Somente com transparência é que podemos ajustar as contas. Muitas vezes, alguém entope o fluir dos rios de Deus e no discipulado isso precisa ser ajustado.
  1. Outro princípio é através do desejo, da sede – Lc 11:10. Um bom exemplo é o que aconteceu com Eliseu e Elias no relacionamento dos dois. O tamanho da fome é o tamanho do que você vai receber. Eliseu quis a unção dobrada de Elias. É importante querer, desejar, almejar.
  1. O outro princípio é a disposição. O discípulo que vai atrás. Disse Jesus, e qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo. Discípulo é o que procura, é o que segue.
  1. Através do compromisso. O discipulado é prioritário. Muitos não priorizam e deixam como é que está para ver como é que fica. Não podemos reclamar daquilo que permitimos. Se não temos compromisso com o nosso discipulado a obra de Deus confiada a cada um de nós não vai se realizar. O discipulado tem um preço. Nós somos servos no aspecto da obra. Não temos direitos sobre nós.
  1. Através da fidelidade. Edificamos relacionamentos através da fidelidade. Jesus quer que todos sejam um (Jo 17:21). A fidelidade guarda, protege, cuida, se torna cúmplices.

Quais são os três pilares de um discipulado:

  1. Cruz, conforme Lc 14:26-27. A cruz toca nos nossos relacionamentos, no nosso ego (negar a vida da alma, das opiniões, dos achismos, dos confortos pessoais, das vontades próprias). Disse Jesus, assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo – Lc 14:33. Discípulo verdadeiro é aquele que se precisar, nega tudo.
  2. Servir – ser servo. Deus somente vai receber o serviço que foi feito de coração. Não para reconhecimento, para aplausos, para o próprio ego. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração – I Sm 16:7. A submissão atrai o coração de Deus. Quando servimos um homem ou uma mulher de Deus recebemos a unção deles. II Re 2:15.

Há uma relação íntima entre servir e herdar um manto de unção. Ver Jo 12:24,26. A cruz, o servir e o seguir, são princípios para uma nova posição em Deus. I Cr 12 fala de homens que arriscaram a sua vida para servir e seguir Davi. O exemplo de Jesus em Filipenses 2 mostra o verdadeiro servo.

  1. O amor. O amor é a base. Deus nos amou, por isso deu o que tinha. Quando amamos fazemos com alegria, quando somos movidos por amor, o preço pago é feito com satisfação, quando amamos investimos tempo e dinheiro sempre visando algo maior na vida de outros. Não existe discipulado sem amor e o verdadeiro amor gera persistência, perdão, dedicação, confiança, transparência e lealdade.

Não existe renúncia sem fé, não existe transparência sem confiança, não existe fidelidade sem um caráter honesto, não existe transformação crescente na direção da estatura de Cristo sem a renovação na forma de pensar pela Palavra de Deus, isso fala de uma construção de raciocínios segundo Cristo, assim como não existirá autoridade sem submissão, a submissão nos respalda para exercermos comando com legitimidade diante de Deus e dos homens.

Sem estes princípios e pilares, o discipulado se torna em vão, perde o sentido e não frutifica! Mas uma vez praticados, gera uma liderança que prevalece em tudo!

No amor de Cristo!

Apóstolo Eliezer

Imprimir
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta