Aconselhamento – Parte V

V – DEPRESSÃO

 
            1) Definição: É um estado emocional encontrado tanto em caráter temporário na pessoa normal que passou por uma grande "decepção" como na "profunda depressão suicida do psicótico".
            Exemplos de depressão na Bíblia: Sl. 88:3-5; 102:3-7.
 
Causas:
 
            2.1) Físico-genéticos: Origem física: Falta de sono, alimentação imprópria, efeitos de entorpecentes, tumores cerebrais, desordens glandulares, hipotálamo – centro sistema nervoso.
 
            2.2) Ambientais: Rejeição dos pais, padrões elevados que os pais impõem sobre os filhos, levando ao fracasso futuramente.
 
            2.3) Incapacidade aprendida: Incapacidade em situações onde não se tem o controle, onde não se pode fazer nada.
            Ex.: Perda de um ente querido, câncer na família.
 
            2.4) Pensamento negativo: Pensamento negativo ® desânimo ® prostração ® depressão ® pensamento negativo.
 
            2.5) Tensão: Perda de: emprego, posição, saúde, pessoas, devido à separações.
            2.6) Ira:  Mágoa è Ira è Vingança è Ação destrutiva è Depressão
            Obs.: Tentativas de suicídio podem ser devido à chantagem psicológica.
 
3) Identificações:
 
            3.1) Sentimentos: Insuficiência, inutilidade, tristeza, pessimismo, desesperança, medo, insegurança, culpa, vergonha, desamparo, apatia, inferioridade, ineficiência, desânimo, desencorajamento, desmotivação, aborrecida com a vida, irrealização.
 
            3.2) Comportamentos: Inércia (sem motivos para viver e agir), dificuldade de tomar decisões, perda de energia, fadiga, insônia, perda de apetite, perda do interesse do trabalho e das atividades usuais, suicídio, incapacidade de apreciar acontecimentos ou atividades agradáveis, agressividade, comportamento impulsivo, passividade, pouco motivadas.
 
 3.3) Pensamentos:
·        "Tudo vai dar errado"
·        "Está tudo ruim
·        "Não sou capaz"
·        "Não dou conta"
 
Fundamento Bíblico:
Vai depender do motivo de depressão. Ex: mágoa, baixa auto-imagem, ansiedade, etc…
 
Como aconselhar:
Vai depender da causa. Deve-se tratar de cada caso especificamente. No geral, a direção será tomada pela Bíblia, de acordo com o caso em questão. Mudando a forma de pensar (Bíblia), conseqüentemente haverá mudança de sentimento e comportamento.
 
            Atitudes práticas:
·        Depressão sem causa específica: encaminhar para o médico;
·        Confronto e exigências devem ser evitados no início, pois quase sempre aumentam a ansiedade produzindo desânimo e pessimismo;
·        Abordagem médica: se necessário: antidepressivos;
·        Levá-los à agir: envolvê-los na rotina diária, reuniões familiares, encorajá-lo em atividades que tenha probabilidade de ser bem sucedido, com isso aumentará o otimismo e interrompe pensamentos negativos;
·        Modificar sua rotina: Reduzir jornada de trabalho ou tirar férias;
·        Encorajar a aptidão física: um corpo sadio é menos suscetível às doenças mentais e físicas;
·        Separar versículos e livros sobre o assunto para ler;
·        Fornecer apoio: estar juntos para orar, passear, distrair,…
·        Levá-lo à reconhecer, desenvolvendo a fé e a confiança no Senhor, (Ele está sempre no controle), (Fl. 4:11-14; II Co. 6:4-10).
·        Quando não consegue receber perdão de Deus, culpa excessiva, etc.
 
VI – SOLTEIROS: NAMORO:
 
            1) Definição: A Bíblia não trata a respeito de namoro. O propósito de Deus é o casamento, mas para se obter um casamento com sucesso é preciso passar por um processo (namoro). E um tempo de crescerem juntos, formar um alicerce firme para um casamento estruturado, correto.
 
            2) Princípios de Deus para o namoro:
a)      Por que não aconselhar o namoro de um novo convertido? (estrutura/maturidade);
 
b)      Deve-se edificar o espiritual (crescer ® períodos de oração juntos, alvos no Senhor, chamado espiritual, caminhar numa unidade espiritual);
 
c)      Planejar atividades que envolva participação em grupo (evitar longos períodos a sós);
 
d)      Procurar ter uma comunicação aberta (ser amigos, transparente…);
 
e)      Buscar a edificação (ler livros, estudos sobre namoro, ver palavras de casamento). O que se planta no namoro, colhe-se no casamento!!!
 
Quando o namoro é prejudicial?
a)      Quando não há idade suficiente (fase da puberdade, descobrimento e despertamento sexual). O namoro do adolescente é um estímulo para o ato sexual.
 
b)      A não concordância dos pais (Ef. 6:1; Col. 3:20).
 
c)      A não concordância da liderança (cobertura espiritual).
 
d)      Quando há jugo desigual (II Co. 6:14-17).
 
            Algumas justificativas:
·        "Estamos simplesmente namorando…"
·        "Não é crente, mas é muito legal e cavalheiro…"
·        "Temos tanta coisa em comum…"
·        "Ele quer que os nossos futuros filhos freqüentem a igreja…"
·        "Eu falei que tinha que ser crente, então ele aceitou a Cristo…"
           
E na hora da crise?
Conseqüência do crente que permitiu o namoro: coração se toma frio, indiferente, insensível à Deus.
 
e)      Quando não tem um ideal (sem compromisso).
 
f)        Quando o namoro é possessivo: isso gera desequilíbrio.
 
g)      Quando entra impureza.
 
A impureza no namoro:
a)      O aconchego excessivo:
 
·        O tempo de namoro (com o passar do tempo torna-se mais íntimo);
 
·        Ficar sozinho (gera uma situação permissiva);
 
·        Namoro com ou sem beijo, abraço? (Geralmente demarcam-se áreas proibidas, no mais vale tudo).
Obs.: O homem é excitado pelo que vê, A mulher pelo o que ouve!
 
·        Namoro no escuro (fugir da aparência do mal).
 Obs.: Se somos seres espirituais, temos comunhão íntima com Deus, saberemos colocar limites!!!
 
b)      Com as carícias vem o abrasamento.
c)      O abrasamento sexual leva à masturbação.
d)      Com a masturbação: inicia-se a entrega dos seios: Ez. 23:3
e)      Próximo passo: ato sexual completo.
 
Conflitos resultantes da relação sexual pré conjugal:
Moças: marcas profundas, sofrimento, sentimento de abandono, de humilhação, frustração, desconfiança, de culpa.
 
Vimos que uma atitude leva à outra. Devemos ser firmes com a carne e com o pecado, pois o que plantamos, iremos colher!!!
 
Continua…
 
Pastor Eliezer
Imprimir