Encontre sua Célula
Saiba qual a célula mais próxima de você! Procurar
Redes Sociais
31 outubro, 2018

Unidade

Salmos 133.

Conforme a palavra profética do ano, em 2018 estamos sob uma promessa de unidade e de restauração. Toda profecia, porém, precisa ser velada e sucedida de passos de fé, ou seja, orarmos e agirmos na direção do que foi prometido.

Começamos 2018, e curiosamente na guematria, que é o estudo numérico das letras hebraicas, o número 18 é Chai (se lê Rai) que quer dizer vivo ou vida. É uma benção determinada por Deus quando ministramos prazer ao coração Dele através da obediência aos seus mandamentos.

Apesar da unidade ser um bem espiritual prometido e gerado por Deus, ela é algo pelo qual somos responsáveis individualmente. Neste ano devemos orar e agir como instrumentos promotores de unidade. (O que está determinado pela palavra precisa ser feito…)

Gerar unidade entre nós e Deus, no seio da família, na equipe e na igreja custa renúncia, e renúncia é morte, é cruz. Este é o antagonismo do Reino: para que haja vida (ressureição) primeiro precisa existir morte (cruz). Como está escrito: Quem quiser ganhar a sua vida, perdê-la-á.

Para que nosso espírito esteja unido ao Espírito de Deus, precisamos morrer para os prazeres da alma e da carne, para o pecado e para o mundo.

Voltando a Chai, Chai é uma benção liberada quando renunciamos a nossos próprios direitos e vontades, para obedecer e agradar ao coração de Deus, como o exemplo de Jesus em seu batismo, dizendo à João Batista: deixa por enquanto, pois nos convém cumprir toda a justiça. O zelo de Jesus em agradar o coração do Pai pela obediência em cada passo do plano traçado para Ele na Terra, fez com que todos ouvissem o Pai dizendo acerca de Jesus: Este é o meu filho amado em quem minha alma tem prazer.

Deus tem prazer em que vivamos unidos como diz o SI. 133 e para que sejamos promotores da unidade do Espírito, precisamos

  1. Entender o valor dela:

A unidade atrai a unção, a benção e a salvação. O resuma destas virtudes é o avivamento que representa a vida de Deus (Chai) enchendo a tudo e a todos. (O nível de conquista está relacionado ao nível da unidade)

  1. Entendendo o prejuízo de não tê-la:

Em Marcos 3:24 Jesus disse que “Um reino dividido não subsiste”. Também na epístola do apóstolo Tiago 3:16 está escrito: “Pois onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de coisas ruins, ou seja, a presença e a ação de demônios.”

  1. Vencermos o espírito crítico.

Este espírito nos leva a olharmos mais para os defeitos do que para as qualidades. Temos uma tendência à crítica e à murmuração (natural) e não ao elogio (espiritual). Não falo do elogio forçado ou bajulador, mas o elogio que evidencia as qualidades de uma pessoa, estimula o espírito, ministra segurança à alma e gera louvor para Deus.

Vamos neste ano, usar uma linguagem de reforço, de reconhecimento e gratidão, uns para com os outros. (Se uma pessoa quer ser reconhecida, primeiro precisa se humilhar e agir no papel de servo).

  1. Vencermos as obras da carne:

A grosseria, a inveja, o ciúmes, a cobiça, a soberba, a mágoa e o individualismo. Precisamos a partir de 2018 deixar a busca pelo reino próprio e abraçar a luta pelo Reino de Deus. Neste ano a Visão, (em São Paulo), completa 18 anos e isto indica que é tempo de maturidade, em outras palavras, deixarmos as coisas de menino e agirmos com temor e responsabilidade.  (Obs. O elogio deve ser feito no culto, na frente de todos, mas a correção deve ser sempre em particular).

  1. Caminharmos em direção à origem da unidade que é a intimidade com Deus.

Quando pela oração, jejum, leitura da palavra e exercício do amor buscamos à Deus, Ele nos: Capacita com mais amor (chave da multiplicação),

  • Ele Nos revela seus pensamentos e sonhos, nos alinha com a Mente de Cristo.
  • Ele Nos une no propósito do evangelho (fazermos discípulos).
  • Ele Nos unge com poder para que façamos novas conquistas.

(Temos aprendido na palavra que colhemos o que plantamos, neste caso da unidade e conquista precisamos usar sempre de misericórdia, porque um dia podemos precisar dela, podemos ganhar muitas vidas, mas se não cuidarmos da nossa essência em Cristo, do amor dele em nós, do respeito e da honra a quem é devido, da humildade e serviço, poderemos não conquistar o território ou perder as conquistas alcançadas)

Pessoas que não querem se submeter deixando a arrogância tomar conta dos seus sentimentos e atitudes, não terão respaldo para conquistar o território pelo qual estará lutando. Pessoas assim não andam integrados com outros discípulos, pelo contrário, trilham por caminhos contraditórios a unidade, a humildade, ao amor, a fidelidade, lealdade e serviço.

Mas 2018 ainda será um ano muito feliz para todos os que buscarem a intimidade de Deus, obedecerem seus princípios e preceitos, praticarem o amor, e promoverem a unidade.

Ministração: orar por cada tópico (distribuir os tópicos entre os 12) e profetizar entendimento e comprometimento de cada um na busca por unidade em todas as áreas.

Um discipulado muito ungido, completo e frutífero para todos ENDJ.

Amamos vocês Aps. Fábio e Claudia A. Abbud.

 

Neste contem alguns acréscimos nossos.

 

No amor de Cristo!

 

Aps Eliezer e Zenita

Imprimir

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •