Encontre sua Célula
Saiba qual a célula mais próxima de você! Procurar
Redes Sociais
21 novembro, 2018

Anunciando as boas novas

Atos 13:2,3; 13:9,10

​​Hoje vamos falar de um dos homens mais importantes na história do Cristianismo, o apóstolo Paulo.

​A bíblia mostra que ele era anteriormente chamado de Saulo, ou seja, nas primeiras passagens bíblicas a seu respeito, ele aparece com o nome de Saulo e alguns versículos depois, sem nenhuma explicação ou detalhamento, passa a ser chamado de Paulo.

Saulo, antes de sua conversão, era conhecido como um judeu perseguidor de cristãos e um dia imbuído da missão de matá-los, inclusive com autorização em mãos do Sumo sacerdote, indo para Damasco, tem um encontro com Jesus, fica cego por três dias e depois disso é curado, se converte e passa a ser o maior pregador do Evangelho de Jesus o Cristo.

​Depois de ter tido seu encontro com Jesus e sua vida transformada, ele passou de perseguidor de cristãos ao mais apaixonado pregador e defensor das verdades bíblicas. Nesta passagem bíblica de Atos que lemos hoje revela que o Espírito Santo junto com os Apóstolos, separou Barnabé e Saulo para serem enviados para anunciarem as boas novas de salvação em outras cidades, aldeias e nações. Então, jejuando e orando, impuseram as mãos sobre eles e os enviaram.

Algumas vezes quando no meu início de ministério, procurei um versículo que poderia dizer: “Saulo, hoje mudo o seu nome para Paulo”, mas não encontrei! ​Hoje entendo perfeitamente que não é erro de tradução e que também não foi uma ordem de Deus, mas uma estratégia legítima e inteligente, isso teve grande resultado para o Apóstolo Paulo ser aceito em ambientes e território de domínio romano.

​Na verdade Saulo não recebeu um novo nome. A bíblia mostra que ele tinha dois nomes diferentes, o que era muito comum naquela época para um judeu que tinha cidadania romana, como era o caso de Paulo. Saulo era o nome em hebraico e apenas quando ele começa suas viagens com a missão de evangelizar os gentios, ele adota o nome romano de Paulo.

​A mudança de nome ou passar a adotar o nome Paulo então era uma medida estratégica para alcançar os gentios, para poder circular no meio deles, tocá-los com a mensagem do Evangelho mais facilmente e naturalmente. Era também uma medida de proteção, o Apóstolo Paulo dirigido pelo Espírito sabia que não precisava gerar guerras desnecessárias.

​Refletindo sobre tudo isso, não podemos deixar faltar hoje em nosso meio cristão, a paixão de pregar o evangelho, precisamos estar ávidos para pregar o evangelho de Cristo e com ele alcançar a nova geração que precisa muito de salvação. ​A igreja tem buscado muito o poder que há no sobrenatural e isso é importante, mas precisamos ir além disso, a bíblia mostra que pequenas atitudes no natural também podem gerar grandes resultados e milagres!

O Apóstolo ​Paulo teve tanto êxito na edificação da Igreja de Cristo, evangelizando os gentios, pois não foi um religioso com atitudes de acusação. Ele anunciava a verdade que liberta com simplicidade, convicção e ousadia, Jesus disse: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. João 8,32

​O mundo em trevas não precisa de pregadores que lançam mais culpa e condenação sobre ele. O mundo precisa de pregadores das boas novas da salvação.

​A igreja não pode andar no convencional, ela precisa buscar em Cristo o modelo para ganhar vidas, existe uma parte da igreja que se isola do mundo, que se fecha nela mesma e não transita no meio dos “pecadores ou de pessoas que não são cristãs”, tentando se preservar. Precisamos entender que temos uma identidade de filhos de Deus, que temos o Seu DNA e que indo e estando no meio das pessoas que estão no mundo, levaremos da vida, da luz e da graça de Cristo que está em nós e não o contrario.

A igreja de Cristo precisa aprender a pregar não só com persuasão de palavras, mas com a demonstração do poder do Espírito Santo. Se convivermos com pessoas que estão no mundo nos confunde e nos desvia da salvação, então ainda não nascemos de novo, se formos para a faculdade e lá somos influenciados para o mal e nos desviamos, então ainda não somos filhos de Deus com a estatura de Cristo, ainda somos crianças. Sendo assim nunca seremos enviados, Precisamos de convicção acerca da nossa identidade e papel neste mundo.

Em 1 Coríntios 2,4 o Apóstolo Paulo disse: “Minha mensagem e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus. ”

​Jesus, O Cabeça da Igreja que é o Seu corpo, corpo de Cristo, se humilhou. Jesus andou com os pecadores, pregou o amor, o arrependimento e o perdão incondicional e não se contaminou e hoje nós só estamos aqui, porque alguém com habilidade e sabedoria, conduzido pelo Espírito Santo de Deus, falou para nós deste amor, veio até nós, não com pedras nas mãos para nos condenar, mas  sim para anunciar que havia um caminho, uma verdade e uma vida que nos levaria aonde todos querem chegar; os braços do PAI Celestial!

​Hoje a igreja precisa voltar ao princípio de tudo e parar de proclamar apenas uma religião, precisamos fazer o que nos foi comissionado a fazer; discípulos para Jesus! ​Nossa pregação tem que ser Jesus, sua vida e modelo. Temos que fazer como o apóstolo Paulo, sermos imitadores de Cristo.

​Deus te abençoe com uma vida cristã sem religiosidade e com muita presença e poder do Espírito Santo de Deus,

Amamos vocês,

 

Apóstolos Eliezer e Zenita

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imprimir
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •