Encontre sua Célula
Saiba qual a célula mais próxima de você! Procurar
Redes Sociais
8 janeiro, 2017

Nossas atitudes podem atrair bênçãos ou maldições

Genesis 9: 20 a 29              

Gênesis 9: 20 a 29 nos revela que de uma única família (a de Noé) na era pós-dilúvio, foram geradas todas as nações da Terra. De cada um dos filhos de Noé, descenderam diferentes povos que ocuparam diferentes lugares do planeta, segundo o plano divino.

Outro ensino é que de todos os líderes e heróis da fé, nenhum deles se achou totalmente imune ao pecado, todos falharam, sofreram consequências de seus erros e foram também alvos das entranháveis misericórdias de Deus.

Dentre estes casos, encontramos no texto acima o tropeço de Noé. O homem tido por Deus como justo e íntegro, através do qual Deus salva da extinção a humanidade, agora vive a sua vergonha embebedando-se até cair, e perdendo a consciência até a nudez.

Este deslize do sacerdote da família, expõe seus filhos também ao pecado e sua descendência à visitação da maldição.

Este texto nos ensina sobre o temor e a responsabilidade, que temos que ter como pais e como líderes, no guardar a santidade, mas também é um forte alerta para filhos e discípulos, o quanto importa para o nosso próprio bem, respeitarmos a autoridade dada por Deus à nossos pais e à nossos líderes.

Algo muito grave aconteceu enquanto Noé jazia embriagado e nu no interior de sua tenda, algo que vai além de ter sido vista a sua nudez por seu filho.

Talvez o neto Canaã, manifestando uma natureza libidinosa, tenha tentado ou consumado alguma imoralidade que tenha desonrado seu avô, enquanto inconsciente.

Embora exista uma falta de clareza e de detalhes no resumido texto, é evidente o envolvimento do neto Canaã no escândalo familiar, em virtude de no texto haver uma menção específica de seu nome, uma vez que Cam tinha quatro filhos, a saber, Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã.

Quando Noé acorda e toma conhecimento do que havia ocorrido, este amaldiçoa só a Canaã, o filho mais novo dentre os quatro filhos de Cam.

Muitos entendem equivocadamente, que Cam foi amaldiçoado, quando o texto diz: Despertando Noé do seu vinho, soube o que lhe fizera o filho mais moço.

Cam não era o filho mais moço e sim o segundo de Noé, entre três, conforme Gn. 9:18. A expressão o filho mais moço, refere-se a seu último neto. Na linguagem bíblica os descendentes de um patriarca, não são chamados de netos ou de bisnetos, mas todos de filhos. Como exemplo, até hoje as gerações de Abraão o chamam de pai e são também chamados de filhos de Abraão.

Não sabemos exatamente que mal fez Canaã, mas sentindo-se ultrajado, Noé o sentenciou: Maldito seja Canaã, seja servo dos servos a seus irmãos, e isto atingiu todos os povos descendentes de Canaã até os dias de hoje.

Para entendermos melhor o contexto geral, vamos ver a genealogia da família:

De Sem foram gerados os Hebreus (filhos de Héber) ou o povo semita. Hoje os filhos de Israel, descendentes de Abraão

De Cam, pai de Canaã, foram gerados os povos do oriente médio como a Babilônia, Irã, Iraque, Egito, Líbia, Síria, Etiópia, África, Índia e China.

 De Jafé foram gerados os povos da Inglaterra, Rússia e os Europeus, que alcançaram posteriormente as Américas. Na América do Sul há uma mistura predominante de descendentes de Jafé e de Cam.

Todo este enredo, nos ensina como nossa obediência ou desobediência aos princípios de Deus podem gerar para nós e nossa descendência, benção ou maldição.

Sem e Jafé tiveram uma postura de proteção e honra em relação ao pai, oposta a desonra de Cam e de seu filho Canaã. O histórico de vida das três descendências  também são bem diferentes até hoje.

Sem e Jafé andando de costas, cobriram a nudez de seu pai. Por conta disto foram abençoados.

De Sem Noé disse: Bendito seja o Senhor, Deus de Sem e Canaã lhe seja servo. Isto equivale a: Seja conhecido e adorado o Deus de Sem (Israel) e o Senhor seja a sua benção e sua autoridade e graça sobre seus irmãos. De Sem vieram à fé e a salvação por meio de Abraão e Jesus.

De Jafé o Senhor disse por intermédio de Noé: Engrandeça Deus a Jafé, e habite ele nas tendas de Sem, e Canaã lhe seja servo. Isto representa: De Jafé saiam nações poderosas que tenham sucesso enquanto estiverem aliançadas com Sem (Israel).    Habitar nas tendas, pode também ser entendido como estar sob a cobertura espiritual de Sem.

O fato de Cam ter sido talvez passivo em relação a atitude vil de seu filho, não corrigindo-o, e de o ter exposto e rido da fraqueza do pai perante seus irmãos, furtou-lhe a benção. Cam não foi sequer citado pelo pai, ao passo que Canaã, por três vezes foi declarado como aquele que seria subjugado por todos.

Ao longo dos séculos as profecias de Noé tem se cumprido nitidamente para aqueles que têm olhos espirituais. Sem (Israel) foi levantado por Deus como uma nação sacerdotal que é amada, abençoada e protegida por Yaweh e feita por Ele, uma referência de fé e salvação para todos os povos através de Yeshua. 

O decreto sobre Jafé, cujo nome quer dizer engrandecido, gerou de fato, nações poderosas como União Soviética, Estados Unidos e os países Europeus que são fortalecidos pela aliança que tem com Israel, cumprindo-se a promessa de Gn. 12:3: Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem.

Os descendentes de Cam já citados acima, habitam em territórios marcados pelo sofrimento da fome, das enfermidades, das guerras e das falsas religiões que escravizam a alma e subjugam os povos por meio de opressão. No sentido geopolítico os descendentes de Sem e de Jafé sempre exerceram domínio sobre os descendentes de Cam. Como exemplo disto, podemos citar o domínio de Roma sobre muitos povos, a escravidão e o extermínio imposto pelos Europeus aos índios e negros das três Américas, e a supremacia econômica dos Estados Unidos e Israel que ditam as regras de grande parte da economia mundial.

Também o que foi dito acerca de Canaã se cumpriu quando os seus descendentes (os Cananeus, Amorreus, Heveus e Jebuseus) foram expulsos da Terra de Canaã com a chegada das doze tribos de Israel. Os que sobreviviam após a guerra tornavam-se escravos, como consequência de sua maldade e imoralidade, nascidas no coração de seu pai Canaã. Veja em Dt. 18:9 quais eram as práticas destes povos.

Este estudo nos traz três lições básicas no quesito família e discipulado:  

1 – Não existem pais ou líderes perfeitos, pois todos os homens estão sujeitos a falhas. Por mais que desejemos líderes perfeitos, teremos que aprender a conviver de forma espiritual com as falhas de nossas autoridades na Terra. Isto não quer dizer concordar com o pecado ou transigir com ele, mas não fazer propaganda das obras do diabo através da maledicência, e de julgamentos precipitados.

2 – Quando nossos líderes errarem, não precisamos errar junto com eles, como fizeram Cam e Canaã. Não devemos condenar nossos líderes, nem denegrir sua imagem contaminando a outros com a exposição de suas falhas e defeitos, antes devemos orar por eles, intercedendo diante de Deus por arrependimento e transformação, para que não se multipliquem escândalos no seio da igreja.

3 – Para o nosso próprio bem, precisamos aprender a nos relacionar com a autoridade de Deus colocada por Ele sobre nossos pais e nossos líderes. Um líder por falhar ou pecar, não deixa de ser líder, a menos que o próprio Deus o desqualifique. Noé mesmo tendo falhado como pai e líder, foi respaldado por Deus, e tudo que ele profetizou se cumpriu até aqui. Suas palavras não eram fruto de um coração se vingando, e sim da justiça de Deus punindo a maldade e a desonra contra Sua própria autoridade. Se quisermos ter sucesso e vida longa, se quisermos viver uma vida sossegada e tranquila, se quisermos que nossa descendência seja poderosa na Terra, conforme nos promete a Bíblia, devemos amar nossos pais biológicos e espirituais, honrá-los e protegê-los em todo o tempo, nunca nos esquecendo de quem são, e de tudo que de bom já fizeram por nós.

Deus é tão bom, que através de um descendente de Sem (Jesus) o Senhor propiciou a quebra de todas as maldições, e prometeu Sua benção para todas as famílias da Terra (Gn. 12:3). Nós que por intermédio da fé já alcançamos esta graça, devemos conservá-la pelo constante exercício do amor, da obediência e da honra a Deus e aos líderes que Ele ungiu para o nosso bem.

Depois do sacrifício da Cruz, não seremos mais abençoados ou amaldiçoados por conta de nossas etnias, e sim por nosso coração e nossas atitudes.

Que o Grande El Shaddai nos guarde a todos neste Caminho Santo, nos abençoe e multiplique

ENDJ. Amamos vocês. Aps. Fábio e Claudia A. Abbud.

Por favor repassem este estudo as outras gerações.

Ap. Fábio Abbud

 

Imprimir
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •