Encontre sua Célula
Saiba qual a célula mais próxima de você! Procurar
Redes Sociais
10 outubro, 2011

Consolidação – Curso de discipulado – Parte 14

 

A importância dos Dízimos e Ofertas
 
A questão financeira é uma das maiores preocupações na vida das pessoas do mundo inteiro. Quase tudo o que fazemos envolve dinheiro e por isso temos a tendência de achar que se temos dinheiro temos tudo e sem ele, nada temos. Este tipo de pensamento, que faz do dinheiro a prioridade número um, vai gradativamente influenciando e escravizando as pessoas até que o dinheiro e as riquezas tomem o lugar que pertence a Deus no coração dos homens. Jesus disse que onde estivesse o tesouro de alguém, ali estaria também o seu coração (Mateus 6:21).
 
Os que não têm dinheiro passam a vida buscando-o e ficam frustrados e amargurados quando não o conseguem. Os que têm dinheiro vivem com medo de perdê-lo e buscam ter mais o tempo todo.
O dinheiro vai sutilmente exercendo poder e controle. Muitas angústias, ansiedades, stress, doenças, brigas, separações, mortes, prostituições, roubos de toda sorte acontecem pelo amor ao dinheiro. De fato, a bíblia nos diz que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males: Veja, posso ter muito dinheiro, mas não posso deixar este dinheiro tornar-se um deus na minha vida.
 
"Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se transpassaram a si mesmos com muitas dores”. (Timóteo 6:10)
 
Amamos a Deus ou ao dinheiro?
 
O problema não é o dinheiro em si, mas o amor ao dinheiro. É algo ligado ao coração. Isto que faz com que as pessoas sejam escravizadas. Na realidade estamos falando da influência do deus deste século, na mente e no coração dos homens. Jesus falou sobre este espírito maligno e o chamou de Mamon o deus das riquezas. Isto não significa que Mamon seja o dono das riquezas do mundo, porque todas as coisas incluindo as riquezas, pertencem a Deus. Mas este espírito maligno tem a incumbência de corromper a mente das pessoas para que elas façam das riquezas o seu deus. Mateus 6:24 diz: Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamon.
 
O plano de Deus para nós é que sejamos totalmente livres de Mamon em nossa mente, em nosso coração e em nossas finanças. Pode até parecer estranho, mas é o desejo de Deus que não nos preocupemos nem um segundo com as nossas necessidades básicas, pois Ele garante em sua palavra que nos suprirá. Veja o que Jesus continua dizendo no mesmo texto:
 
"Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto a vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado a sua estatura? E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam, contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a, vós, homens de pouca fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? Ou que havemos de beber? Ou: Com que havemos de vestir? Pois a todas estas coisas os gentios (os que não conhecem a Deus) procuram. Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal" (Mateus 6:25-34).
 
Como nos livrar da influência e do poder de Mamon em nossa vida?
 
A resposta de Deus é: entregar o dízimo e ofertar. Somente os filhos que se consagram e entregam todo o controle de suas vidas a Deus é que podem experimentar esta liberdade. Mesmo que alguém seja cristão, se não andar em fé nesta área será escravizado pela influência de Mamon.
 
Por que devemos dizimar?
 
a) O dizimo santifica as minhas finanças. Quando o pecado entrou, (Gênesis 3) a terra ficou amaldiçoada e o homem passou a ter grande dificuldade com seu sustento. Ele passou a enfrentar os espinhos e comer do suor do seu rosto. Isto aconteceu por causa da maldição a que ficou sujeito. Quando entregamos os nossos dízimos no altar de Deus, o que fica em nossa mão está abençoado e livre de maldição.
 
b) Os dízimos pertencem ao Senhor:"Também todos os dízimos da terra, quer dos cereais, quer dos frutos das árvores, pertencem ao Senhor; santos são ao Senhor”. Levítico 27:30
Por isso dizemos que: pagamos os dízimos, ao invés de: damos os dízimos. Os dízimos não nos pertencem. Nós devolvemos o que pertence a Deus.
 
c) Abraão deu o dizimo. Gênesis 14:20;"E bendito seja o Deus altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos! E Abrão deu-lhe o dizimo de tudo”.
Somos descendentes de Abraão em Cristo e devemos praticar as mesmas obras que Ele praticou.
João 8:39 "Responderam-lhe: Nosso Pai é Abraão. Disse-lhes Jesus: Se sois filhos de Abraão, fazei as obras de Abraão. "
 
d) Jesus confirmou o dizimo. Mateus 23:23; "Dais o dizimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; . devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas (dar o dizimo)".
 
e) Deixar de dar o dizimo é roubar a Deus. "Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis; em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, por que a mim me roubais, vós, a nação toda”.(Malaquias 3:8-9)
 
f) O dizimo libera a bênção de Deus sobre nós. "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida”.(Malaquias 3:10)
 
g) O dizimo é proteção contra o diabo. "Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos." (Malaquias 3:11)
 
h. O dízimo é diferente da oferta
Dízimo é dar dez por cento do meu salário, mas a oferta é aquilo que eu dou além do meu dízimo.
O dízimo é para proteção contra o devorador, enquanto a oferta é para prosperidade. Em Malaquias 3:11 diz que, se dermos o dízimo, o Senhor nos livrará do devorador. O dízimo mostra a nossa fidelidade, mas a nossa oferta demonstra o nosso amor. O dízimo é lei, mas a oferta é amor. A oferta deveria ser maior que o dízimo.
O dízimo não é uma semente, mas as ofertas são sementes. A palavra de Deus diz que aquele que semeia com fartura colherá com abundância por que Deus é fiel. "E isto afirmo: aquele que semeia pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifar á" (II Cor. 9:6).
 
Enquanto os dízimos mantêm você na bênção de Deus santificando suas finanças, as ofertas farão com que você prospere para toda boa obra. Ofertas estão ligadas com a lei espiritual de semeadura.
"Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.Gálatas 6:7­
 
Por que devemos ofertar?
 
1) Por que não devemos roubar a Deus. "Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas". Malaquias 3: 18. Existem situações especificas em que Deus exige de nós uma oferta. Como cristãos aprendemos que a nossa própria vida deve ser uma oferta a Deus, por isso, devemos estar disponíveis e quando o Espírito Santo nos mandar entregar algo, devemos fazê-lo.
 
2) Recebemos a medida que damos. Lucas 6:38 ­ "Dai, e ser-vos-á dado: boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço: porque com a mesma medida com que medis, vos medirão a vós".
 
3) Por que queremos colher muito para investirmos no reino. II Coríntios 9:6;
 
"Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundancia, em abundancia também ceifará”.
 
4) O ato de dar revela o nosso coração. 
 
"Cada um contribua segundo o que propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria". 11 Coríntios 9:7.
 
5) Quando ofertamos recebemos uma medida maior de graça para realizarmos as obras de Deus. II Coríntios 9:8 -"E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra"..
 
6) Quando ofertamos honramos a Deus. "Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares”. (Provérbios 3:9-10)
 
7) O reino de Deus é ativado quando damos. Marcos 4:26-29 -"Disse também: O reino de Deus é assim : como se um homem lançasse semente à terra, e dormisse e se levantasse de noite e de dia, e a semente a brotasse e crescesse, sem ele saber como. A terra por si mesma produz fruto, primeiro a erva, depois a espiga, e por último o grão cheio na espiga. Mas assim fique o fruto amadurecer, logo lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa".
 
Dicas práticas
1.    Não fique guardando o seu dízimo. Entregue-o imediatamente no culto da igreja. Se você recebe semanalmente, quinzenalmente ou mensalmente, entregue o seu dízimo no primeiro culto após o recebimento. I Cor. 16:2 diz: "No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade"… (isto é, conforme aquilo que chega em suas mãos ou conforme sua renda…)
 
2.    Você pode dar o dízimo do líquido ou do bruto, mas nós recomendamos que você dê do bruto.
 
3.    Ninguém tem autoridade para administrar os próprios dízimos e nem mesmo as suas ofertas. Quem administra é a casa do Senhor. O que passar disso é do maligno. Não dê dízimos para profetas, evangelistas itinerantes, ou mesmo para orfanatos, asilos, ou qualquer outra instituição.
 
4.    Todo dízimo deve ser trazido para a Igreja onde você é cuidado e alimentado e protegido. Entregar o dízimo em outra igreja é como um homem casado que dá dinheiro para outras mulheres; é prostituição espiritual.
 
5.    Nenhum pastor tem autoridade para liberar alguém de dar o seu dízimo. Nem um homem pode autorizar alguém a deixar de obedecer a Palavra de Deus.
 
6.    Dê o dízimo antes de fazer qualquer pagamento. Quem primeiro paga as contas para depois entregar o dízimo está pecando. Mostra que Deus não é prioridade. Outro princípio importante e que tudo que chega em nossas mãos está contaminado, mas quando entregamos tudo fica santificado e protegido.
 
7.    O dízimo deve ser de tudo, ou seja, de horas extras, venda de bens móveis e imóveis, investimentos, presentes, etc.
 
8.    Seja organizado. Faça o controle de todas as suas entradas, quer sejam poucas ou muitas. Só assim você será um dizimista fiel; caso contrário você pode estar a mercê do devorador.
 
9.    Um empresário somente será considerado fiel no dízimo se ele der o dízimo de sua empresa e não apenas de sua retirada mensal.
 
10.    Ninguém pode determinar à igreja o que fazer com o seu dízimo. Quem administra os dízimos são os pastores que estão responsável pela igreja diante de Deus e também diante de seus líderes eclesiásticos.
 
11.    Ninguém está isento de dar o dízimo. Nem pastor, nem missionário, nem apóstolo, etc.
 
Leia e medite durante a semana:
Provérbios 3:9-10.
Lucas 6:38.
Malaquias 3:8-11.
Levítico 27:30.
II Coríntios 9:6-8.
 
Responda e compartilhe com seu discipulador
1.      O seu coração é livre para Deus na área de finanças?
2.      Você já experimentou alguma ação sobrenatural de Deus como resultado de dizimar?
3.      Tem alguma experiência de colheita por ter ofertado?
4.      Agora que você conhece a palavra, deseja consagrar suas finanças e ser um dizimista fiel?
 
Oração:
"Pai celeste, em nome de Jesus, eu te dou graças por toda provisão que já está preparada para mim no teu reino. Obrigado por me tomar filho e herdeiro através da nova aliança. Sei que o teu prazer é me abençoar, pois me deste todas as coisas juntamente com Cristo. Eu oro para que o Espírito Santo ilumine minha mente me conduzindo em toda a verdade e que nenhuma área de minha vida esteja debaixo da influência de Mamon.
Decido ser um semeador contribuindo com alegria segundo meu coração. Consagro a ti os meus dízimos e as minhas ofertas e sei que nem a maldição e nem o devorador terão direito em minha vida, pois tua palavra é verdadeira e sei que tu es fiel em todas as tuas promessas. Eu te agradeço porque em Cristo fui incluído na aliança de Abraão, e assim como ele foi próspero em todos os seus caminhos, eu também sou. Obrigado por teres aberto um caminho para eu colha até cem vezes mais de cada semente lançada no teu reino. Assim eu quero viver, dando testemunho de Ti e crescendo para toda boa obra.
 
MEMORIZE MALAQUIAS 3:8-11.

 

Imprimir
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •